Chat


At Christmas Party


# 25 de Dezembro
# Noite 
# Sul do Brasil
Jacob havia decidido fazer de ultima hora uma festa em sua casa, ou melhor, "festa sexy de natal". Por isso ele vestia apenas um gorro felpudo e uma cueca vermelha. Ele só esperava que nada saísse do controle dessa vez, juntar um bando de jovens bruxos com 17 anos para beber era um evento arriscado, ainda mais sem nenhum adulto por perto.  Quero dizer, sua tia Paige era adulta, mas não era nada responsavel. Na ultima festa apareceram até alguns convidados árabes, que jacob, por sinal, não faz ideia de quem os convidou, mas os passeios de tapete voador foram divertidissimos... até que apareceram as autoridades e todo mundo começar a desaparatar correndo. A casa ja estava cheia mas ainda faltavam convidados. — Saindo a terceira rodada de tequila... — Ele virou o copo de tequila, mordeu o limão e chacoalhou a cabeça.
Se tem algo que Michelle nunca entendeu ao certo, é o alvoroço que todo mundo faz sobre o natal. Mas se tem algo que ela sempre gostou, e muito, é uma boa festa. E se tem alguém que saber dar uma boa festa, essa pessoa é o Jacob. Mesmo não gostando muito da temática da festa, a sua presença era garantida!
Ela não se deu ao trabalho de usar uma roupa temática para a festa. Vestiu apenas suas calças jeans preferidas, uma blusa xadrez e para ninguém reclamar: um chapéu do papai Noel bem cafona que ela não teve coragem de colocar na cabeça.
Quando chegou na casa viu alguns rostos conhecidos, mas seguiu procurando pelo seu amigo e quando o encontrou, estava chupando um limão depois de uma rodada de tequila. –Terceira? Não acredito que você não me esperou para começar isso!- Estava com uma cara verdadeiramente indignada para Jacob que ainda se recuperava da dose. 
Jacob fez uma cara de triste. — Vocês... me abandonaram... — ele disse com uma voz embriagada, se referindo ao fato de que seus amigos demoraram uma eternidade para chegar, ou pelo menos era isso que sua mente alcolizada dizia.

Ele roubou um cigarro de alguem que passou perto dele, contornou o balcão de bebidas e preparou um martini. — Onde você estava, Senhorita Duff? — perguntou, entregando a taça a jovem bruxa. .
Michelle soltou um sorriso ao perceber o tom embriagado na voz de Jacob e segurou o riso, mordendo a boca, quando viu o que ele estava vestindo. Não teve como não reparar que a cueca vermelha que ele vestia, caia muitíssimo bem em seu corpo. 
Ela observou o amigo enquanto ele preparava um Martini, ainda segurando o riso. Quando ele a questionou onde estava, Michelle deu com os ombros. –Estava tentando arrumar algo para vestir... mas não achei nada temático além disso- Ela mostrou o chapéu de papai Noel que estava no seu bolso e em seguida jogou no balcão. Ela tomou um generoso gole do Martini que Jacob havia preparado e tentou tirar da mente as vestimentas que seu amigo estava usando, mas sem sucesso. – Diferente de você que preferiu usar quase nada...- mais uma vez ela segurou o riso, fazendo um barulho rouco com a garganta.
Pra mim voce está... está ótima... só precisa de um pouco mais de alcool. — Ele se esticou sobre o balcão para alcancar a blusa da jovem, abrindo um pouco mais os primeiros botões. Em seguida fez um sinal de "ok" com as mãos. — Eu não sei onde minhas roupas foram parar, eu juro que estava vestido. Mas to bem confortavel assim. — ele comentou puxando e largando o elastico da cueca. Jake percebeu que ele e a jovem não estavam se alfinetando como sempre faziam, talvez fosse o espirito natalino. — Onde está seu "namoradinho"? — disse sem se conter.
Dava pra saber que uma festa ia ser boa quando Miya chegava nela. Ok, não é para tanto, mas era assim que ela gostava de pensar, e sorria com esse pensamento enquanto andava cumprimentando rapidamente todos da festa procurando Jacob. Logo avistou-o entregando um martini para Michelle e praticamente correu pra lá.


Eu sei que tô atrasada, mas eu tinha que encontrar esse vestido e já tomei vodca em casa pra esquentar! — disse, chegando por trás do balcão e dando uma voltinha para que vissem seu vestido vermelho decotado, o mais próximo de uma roupa natalina que possuía. Tinha escutado uma pergunta que incluía um diminutivo claramente pejorativo, então seu timing devia estar perfeito. — Tudo bom, gente? — Olhou Jacob de cima a baixo. — Sério?! — Ironizou. — Porém vou permitir essa saliência hoje. — implicou, fazendo um gesto com as mãos de "deixa pra lá".
Ahn, Jake... desculpa atrapalhar,  mas acabou a... — O cabelo rosa chamou a atenção do rapaz no exato instante em que ele parou para falar com seu primo Jacob. — Miya. — Após recobrar a linha de raciocínio ele notou que nada que ele havia dito fazia sentido. — Quero dizer... Hey... — Ele levantou uma mão no ar, acenando para a menina. A timidez bateu. — Você está... fantástica... — Ele notou a reunião dos alunos que se conheciam de hogwarts. — Parece que Hogwarts está em peso aqui hoje, só falta a Avril e a Sar... — Em seguida os barulhos e gritaria calaram o rapaz, e a voz de Avril soou no meio da gritaria. Ele prendeu o riso vendo toda a cena da chegada das garotas.
Além do cabelo colorido, o vestido vermelho decotado e a pulseira de sininho chamavam atenção. Porem, nada chamou mais atenção do que a entrada triunfal que as duas amigas realizaram entrando pela janela da casa montadas numa única vassoura, fazendo uma pose sexy. Obviamente isso resultou numa tragédia de atropelamento da enorme arvore de natal da sala.  

Cata a Sarah! Sarah! SARAH! Você tá bem? — A garota gritou, com voz obviamente alcoolizada, sem medir altura da voz enquanto tentava escalar a arvore caída no chão da sala procurando pela amiga. — Ela disse pra eu voar pela porta... SARAH! Meu deus, Sarah... Eu matei a Sarah! — Ela se arrastou sobre a arvore e acabou sendo engolida pelos galhos e decoração.

Avril chorou caída dentro da arvore até que alguns garotos do sétimo ano a retiraram do meio da arvore de natal e reergueram a arvore. Logo ela estava bem como se nada tivesse acontecido, inclusive, ajeitando as tetas no vestido e saiu andando em direção ao balcão de bebidas.
Michelle sempre foi conhecida pelo seu temperamento difícil e raramente era capaz de esconder seu verdadeiro ser e nem sua cara de desagrado. Ela estava tentando entrar no clima da festa, mas o comentário sobre seu “namoradinho” resultou em uma verdadeira cara de bosta para o Jake. – Quantas vezes vou ter que dizer que...- seu discurso foi interrompido quando Miya chegou com aquele cabelo rosa. E nossa, como as pessoas levavam a sério roupas temáticas! Pelo visto, somente a Michelle que não tinha entrado no clima. 
Logo quando Isaac se juntou a eles, e ficou todo encantado pela Miya, começou uma gritaria. Sarah e Avril chegaram voando em vassouras e acabaram colidindo com a arvore de natal. O único pensamento que passou na cabeça da Michelle naquele momento foi: “bem feito”. – Acho que preciso de tequila!- ela comentou revirando os olhos. – Quem está dentro?- 
Duas amigas e uma árvore de natal. Assim começa a noite de Sarah e Avril que tiveram a brilhante ideia de chegar na festa voando numa única vassoura, entrando pela janela, exibindo poses ousadas. A ideia inicial era pra ser uma entrada que nunca mais seria esquecida e com certeza, ninguém esqueceria das duas batendo na árvore e a derrubando no meio da sala...

Eu não tô morta, idiota. — Mal se ouvia a voz de Sarah, que estava debaixo da árvore com galhos e enfeites presos na boca. A menina tentou abrir caminho entre os galhos para que sua mão pudesse ser vista, como se fosse um defunto saindo de uma tumba. Alguns rapazes vieram ajudar as meninas, que logo estavam de pé, indo em direção ao bar. — Ei, me espera! Você acabou de pensar que tinha me matado, dá pra continuar a ser gentil? — Gritou para Avril, enquanto arrumava seu cabelo. Avril já estava toda desinibida, fingindo que nada aconteceu.

Eu ouvi tequila? — As duas meninas acabavam de se juntar aos amigos, e Sarah só rezava para que ninguém falasse do que aconteceu. Tinha uns enfeites no cabelo e seu vestido não estava exatamente no lugar, mas ela não percebeu porque estava pensando em outra coisa. — Nossa... Acho que já encontrei meu presente de natal... — Disse para Jacob, passando a mão em seu peitoral exposto, praticamente ignorando todos que estavam ali. — Ah, oi pra vocês.
Jacob não se arrependeu de ter feito o comentário porque não houve tempo para briga. A discussão foi evitada com a chegada de Miya. — Wow wow wow, senhorita Angelli, até que fim... E obrigado pela sua permissão. 

Isaac o interrompeu, surgindo do além e dando sua crise de timidez por conta de Miya. Jacob colocou o braço nos ombros do primo concordando sobre Hogwarts e em seguida houve a entrada triunfal. Ele deu uma risada alta da cena. E enquanto todos se distraíram, Jacob falou sutilmente para o primo que "a baba estava escorrendo" e Isaac o xingou baixo: "filhote de trasgo!".

"Vaso ruim não quebra, amiga!", Avril respondeu Sarah, que havia questionado a gentileza da amiga enquanto chegavam ao grupo. "Hey, Sis! Hey everybody!", Avril falou para Miya e para o grupo. Agora, todos os seis estavam reunidos.

Olá, Sarah. Olá, Avril. — Jacob cumprimentou as meninas. Sarah comentou sobre a roupa de Jacob e o mesmo sorriu e piscou o olho direito para a garota. E o assunto era quem toparia tomar tequila. Todos decididos a tomar Tequila, Jacob olhou para Michelle e falou: — Your wish is my command, Ms. Duff. — Acenou com a varinha fazendo seis copinhos voarem e pousarem em circulo no balcão, sendo servidos sozinhos por uma garrafa de tequila.

Vocês já sabem sabem como é. Acima, abajo, a centro... adentro! — Ele engoliu a tequila olhando para Michelle, depois mordeu o limão e chacoalhou a cabeça novamente por conta da bebida forte.


Miya sorria para Jacob quando Isaac chegou. O mesmo parou no meio de uma frase para elogiá-la — Obrigada. — respondeu, e ficou meio embaraçada com o modo que ele a olhava. E olha que esse era sentimento raro para ela. Foi obrigada a desviar o olhar quando sua irmã entrou de vassoura e tomou um tombo, mas logo se recompôs e chegou perto do balcão, com Sarah vindo logo em seguida. — Queria ter tido sua ideia de entrada. Agitou a festa! — Disse, com um sorriso gigante para a irmã enquanto Jacob oferecia tequila a todos após uma apalpada de Sarah.

Após a tequila percebeu que não devia ter misturado bebidas. Apoiou-se em Jake — Por que tequila, cara? Já estou tonta. — Mas logo em seguida sorriu, travessa — Amei, manda mais! Tem whisky de fogo aí?
Ninguém tinha revivido a lembrança da entrada triunfal das duas amigas, e Sarah só se sentiu mais aliviada por isso. Se bem que, talvez ela nem notasse também se alguém falasse algo. Sarah e Avril já tinham bebido praticamente uma garrafa inteira de vodca antes de chegarem na festa. Sugeriram uma rodada de tequila, sua bebida favorita, e claro que a animação só aumentou. — Arriba, abajo, al centro y adentro! — Repetiu eufórica, formando um coro com Jacob. Tomou sua dose de uma só vez, dispensando o ritual do limão e sal.

Era incrível como Sarah se sentia brilhante às vezes. Na verdade, suas ideias eram sempre péssimas, mas ela só conseguia pensar que queria animar ainda mais essa festa. — Vocês estão desanimados demais! — Nessa hora, particularmente, olhou para Michelle. Aproveitou que todos ainda se recuperavam da bebida forte e retirou de dentro do sutiã sua varinha. A intenção de Sarah era somente fazer com que Michelle se soltasse um pouco, já que não parecia muito animada com a festa. Mas Sarah nunca foi boa com feitiços e, claramente aquele daria errado. Pronunciou algumas palavras em voz baixa e apontou sua varinha para Michelle, de um jeito que ninguém pudesse ver. Ou quase ninguém. — Vamos agitar isso aqui! Vem, Avril! — Sarah puxou Avril, guardando rapidamente a varinha e fingindo que nada tinha acontecido e ninguém percebeu que ela tinha feito algo. Sarah olhava para Michelle, tentando disfarçar, mas viu que suas pernas estavam estranhas... Ela só esperava não ter tido nada a ver com isso.
A ideia da tequila foi aceita com unanimidade e todos beberam com o coro do Jacob. Uns tomaram fazendo careta outros assim como Michelle, tomaram a bebida como se fosse água. Porém, o efeito da bebida ainda ia demorar um pouco para fazer efeito.
Michele se esticou no balcão para alcançar a garrafa de tequila e tomar mais uma dose por conta própria, mas no momento que sua mão agarrou a garrafa suas pernas cederam e ela caiu igual uma pata choca no chão. – MAIS QUE PO**A É ESSA! – ela olhava incrédula para as suas pernas. – EU VOU MATAR QUEM FEZ ISSO!!! – suas pernas estavam coladas uma na outra, o que se tornava impossível ficar em pé. E é claro, com o seu temperamento, ela estava furiosa. Ela tentou alcançar sua varinha que estava na sua bota, mas sem sucesso.
Jacob já estava sentindo seu corpo entorpecer. Ao longe ouvia Miya conversar com a irmã, mas ele só pensava que achava engraçado o fato de parecer que ele estava vendo duplo.  "Eu sempre agito a festa, Sister... mas eu ainda nem comecei.", disse Avril, rindo para irmã; Em seguida ela foi levada por Sarah para o centro da sala para começar alguma brincadeira.

Isaac viu uma oportunidade no assunto de Miya: "Ahn... seu Whisky!", ele entregou o copo pra ela, sorrindo. Avril voltou puxar Isaac e Miya para participar da tal brincadeira. Ficando apenas Michelle e Jacob no canto, próximo do balcão do bebidas. 

Blupft! Não foi um dos sons mais comuns de se ouvir. Jacob cerrou o cenho e olhou para baixo, encontrando Michelle caída. Ela xingou extremamente irritada. Não rir era a melhor opção, mas, no atual momento, bêbado, não conseguiu segurar o riso vendo a garota se remexendo para alcançar a varinha na bota. —  Hahahaha... Ai meu santo Merlin, Hahaha...  — Ele segurava o estômago enquanto se abaixava na altura dela. Depois de secar os olhos ele pegou a varinha na bota da garota, mas não entregou para ela. Ele segurou a varinha ao alcance dela, mas preparado para afastar caso ela tentasse pega-la. — Ahn, nao, shh shhh. Se me xingar, eu não vou te entregar. Hahaha. Primeiro você vai ter que assumir que eu sou muito melhor que aquele seu "namoradinho". Vai fala... você sabe que eu fui muito melhor que ele, o Jake aqui sempre é inesquecível. — Ele pensou um pouco olhando para para a cara de fúria dela. Esperou ela responder, mas quando ela abriu a boca ele, ele completou: — Eu estou brincando.... — Ele mesmo cancelou o feitiço que colava as pernas da garota e entregou a varinha para ela. E estendeu a mão para ajuda-la a levantar.
Não bastava que ela estava caída no chão, com as pernas coladas, ainda era obrigada ver o amigo rir até chorar. Sua raiva estava atingindo um nível perigoso para os envolvidos na brincadeira e Jacob parecia querer atravessar essa linha tão perigosa. 
Se não bastava rir dela, ele ainda arriscou mais ainda falando novamente do seu "namoradinho". Naquele momento ela fuzilou Jacob com os olhos, mas como ainda estava no chão e a sua varinha estava na posse de Jacob, preferiu manter-se calada. 
Por fim, ele tomou uma decisão correta, cancelou o feitiço que colavam a sua perna, e entregou a varinha a ela. Como já era esperado, ela ignorou a mão que estava estendida para se levantar e se colocou de pé por conta própria.
Ainda com um olhar furioso, ela chegou perto do ouvido do Jacob e disse em alto e bom tom. - Sabe porque o meu "namoradinho" é tão melhor que você? É porque ele não têm atitudes infantis como essa e também não usa uma "cuequinha" para a festa.- Ela sorriu falsamente para ele e deu um bom gole na garrafa de tequila para ver se conseguia relaxar um pouco. 
A mão que estava estendida no ar permaneceu, descrente no que ouviu Jacob só retirou a mão ao fim das ultimas palavras de Michelle. — Foi apenas uma piada, Mih. Sabe, você não precisa dessa armadura sempre, ela machuca mais aos outros do que te protege. — Disse o garoto, com a voz baixa e sem expressão facial. Jacob virou-se de costas, se afastando, ele puxou o gorro de natal da cabeça enquanto se dirigia para a cozinha. — E não foi eu quem te azarei. — Relembrou, falando da porta, antes de entrar na cozinha e a porta se fechar a suas costas.

Enquanto isso na sala, as garotas reuniram algumas pessoas bêbadas para brincar de garrafa. Avril pegou Isaac e Miya pela mão e os levou para a brincadeira. Sarah iniciou a brincadeira sabotando a garrafa para beijar Avril. — Se prepare para o seu melhor beijo, Sarah Maria! Avril, sem nem pestanejar, bateu algumas palminhas de forma agitada, se inclinou segurando o rosto da amiga próximo do dela e a beijou. Os garotos vibraram em som extremo.

Em seguida a garrafa foi girada novamente. Caiu entre uma aluna de Castelobruxo e um aluno de Durmstrang, eles quase se engoliram no meio da roda. Em seguida outros dois alunos de Castelobruxo se agarraram. E nessa terceira vez que a garrafa foi girada, lentamente a garrafa foi parando, selecionando Miya e Isaac. E quando todos estavam olhando ela parar quase parando na Miya, ela sambou retrocedendo e parando virada para um garoto ao lado de Miya, um aluno de Hogwarts, Sonserino, óbvio. Obviamente sendo manipulada.

 "Vamos lá, Isaac. Você não quer me dar um beijinho?", zombou o garoto, de propósito, por ter notado a esperança de Isaac em beijar Miya.

Não caiu em você! Vocês viram! Não viram? — Disse Isaac, apontando para a garrafa olhando para Miya. — Você viu, não é, Miya? — A resposta dependeria de Miya, para beijar ou não Isaac. Óbvio que isso chamou atenção de todos. Avril estava parada ao lado de Sarah, rindo de algo quando notou todo o problema. Ela olhava para a irmã e para o primo de Jake. Era uma cena constrangedora e delicada.
Jacob tinha whisky e Miya virou rapidamente, sendo logo arrastada por Avril, que queria agitar a festa. Tava tudo super certo e o grupo acabou decidindo pela brincadeira da garrafa. A jovem sentia que o whisky definitivamente tinha sido uma péssima escolha depois de tequila, mas não ia ser a estraga prazeres.

Estava divertido ver os outros se beijando. Avril e Sarah tinham iniciado o jogo bem desinibidas e isso contagiou a todos, que riam e gritavam. O sorriso de Miya desvaneceu lentamente de seu rosto, porém, quando a garrafa lentamente ia parando apontando ela e Isaac. Sua mente estava embotada da bebida e com dificuldade manteve um sorriso amarelo no rosto. A garrafa porém girou lentamente e focou um sonserino de seu lado. Miya franziu o cenho, confusa, mas alívio transpareceu em seu rosto por um breve momento. Isaac contestou fervorosamente a provocação do garoto e a garota ficou sem ação, uma expressão tola e surpresa na cara enquanto parecia lutar com as palavras — Eu... não sei... cara... — Gaguejou, tentando arranjar uma desculpa. Olhou em volta, todos olhavam dela para Isaac e percebiam a verdade: ela não queria beijar o garoto. A ideia parecia causar uma certa repulsa nela. Engoliu em seco,
tentando suavizar a expressão — Acho que podíamos... rodar de novo? — Sua hesitação ao falar transformou a frase numa pergunta e Miya percebeu tarde demais seu erro. — Quero dizer... se alguém mexeu... não vale, né? — disse, desolada, olhando em volta, na esperança de amenizar a situação.
Sarah pegou a garrafa que estava no balcão do bar, praticamente vazia, e começou seu discurso: — A brincadeira é muito fácil, gente! Só envolve um pouco de sorte... e de língua! — disse Sarah, balançando a garrafa. Sentou-se no chão, Avril sentou do outro lado, arrastando Miya e Isaac para sentar com ela. Os que queriam participar também se sentaram e Sarah girou a garrafa. Ok, ela sabotou a garrafa, mas só porque queria provocar os meninos. Ela sabia bem o que os rapazes queriam, ou ao menos, pensava saber. O fundo apontava para ela mesma e a ponta para Avril. Sarah riu sapeca, pegou a garrafa de tequila no centro e tomou uma golada, direto do gargalo. Sem falar nada, só rindo descontrolada, foi engatinhando até Avril, do outro lado. — É bom que você tenha escovado os dentes hoje, garota... — Avril segurou o rosto de Sarah com as duas mãos, animada até demais, e a beijou. Depois de todo teatro que Sarah fez, não podia reclamar.

A garrafa foi girada mais uma vez e dessa vez não teve manipulação, ao menos não de Sarah. Mas isso não quer dizer que ela não colocaria o dedinho nesse mingau. — Quer saber, gente... — Sarah se levantou, enquanto se ouvia um burburinho, saiu de seu lugar e foi em direção da Miya, a puxando pela mão. — Você — disse encostando seu dedo indicador no ombro da menina — ... beija ele. — E encostando o dedo em Isaac. — E ninguém vai rodar de novo, todo mundo viu que caiu em você, medrosa. — Piscou para Avril, como se buscasse aprovação. — E nada de enrolar. Vamos! Titia quer ver língua.
Avril tentou impedir a amiga de se juntar a briga por medo de piorar a situação. E, bom, não poderia se dizer que Sarah solucionou o caso fazendo aquela proposta. Avril conhecia bem a irmã e seu estômago dava incontáveis voltas por saber que ela era a culpada de ter colocado a irmã na roda da brincadeira. Sentiu-se culpada até mesmo por Isaac, já que notou no semblante do garoto a tristeza de ser renegado, principalmente por Miya. 

Sarah... — Chamou baixo, mais para si. — ...não acho que essa seja uma boa ideia... — Diferente de Avril, a personalidade de Miya era muito mais reservada e ela jamais forçaria a irmã a fazer algo. "Droga, aonde está o Jacob?", ela pensava, nervosa, por seu salvador. Destinada a salvar a irmã e evitar uma briga maior ainda, Avril completou: — ...porque o Isaac essa noite será só meu.  

Ela andou em direção ao centro da briga, parando de frente para Isaac. Notou que o garoto se segurava, mantendo os punhos bem fechados para não tremer de nervoso. Era uma situação triste. Tomou as rédeas de passar as mãos no pescoço do garoto e puxa-lo para um beijo. — Seu otário, eu te dei sinais a noite toda. — Ela disse ao fim do beijo, piscando para o garoto. Ainda com a testa colada na dele.

Isaac deu um leve sorriso, finalmente abrindo os punhos e liberando a tensão de seus ombros aos poucos. O olhar do rapaz era de agradecimento pela ajuda da amiga, fazendo toda aquela cena. E Avril quase se emocionou com a situação, mas precisava manter a postura para não melar o plano.
Miya ainda estava atônita quando Sarah puxou-a ao centro da roda e praticamente ordenou que beijasse Isaac. Milagrosamente, porém, Avril interviu. Ela beijou o garoto e o mesmo pareceu bem menos nervoso, até agradecido pela intervenção. Avril sempre tivera mais jogo de cintura que Miya. Mas a garota, no entanto, se sentiu pior ainda ali, parada enquanto os dois ainda estavam grudados. Sentiu-se chateada, o que era bem idiota. Não fora ela que tinha magoado Isaac?

Sem absolutamente nada na mente apenas disse – Acho que preciso de outro drink... – girou a garrafa novamente para dar seguimento a brincadeira e foi em direção ao balcão, e fingiu estar distraída servindo mais uma dose de whisky - que na real ela não ia beber.
Se nessa noite existisse um prêmio para a pessoa mais inconveniente, sem dúvidas, Sarah ganharia facilmente. A garota ficou surpresa com a reação de Miya; havia pensado que tinha feito tudo certo, não entendia o motivo para tal irritação. —Olha só... — Sarah seguiu Miya até o balcão do bar. — Talvez o que eu fiz não tenha sido  muito legal, mas... — A menina não era boa em reconhecer que estava errada e muito menos pedir desculpas. Mas continuou mesmo assim. Pela primeira vez na noite (talvez até em muito tempo), ela percebeu que tinha feito besteira. — Me desculpa, tá? Eu só quero que todos se divirtam o máximo que puderem e pensei que fosse gostar disso. — Pegou o copo de uísque em cima do balcão que Miya tinha servido sem nem ao menos pedir. Tomou uma grande golada e devolveu ao balcão. Ela não faz por mal, apenas não percebe o quanto pode ser inconveniente, sem noção e até mesmo chata, de vez em quando.

Foi quando percebeu uma agitação no lugar onde rolava a brincadeira e torceu para que não fosse mais nenhum incidente e sim apenas dois adolescentes inconsequentes se beijando.

Conteúdo patrocinado







Forumeiros.com | © phpBB | Fórum grátis de ajuda | Fale conosco | Assinalar uma queixa | Criar um fórum